top of page

Afinal de contas o que é um sensor MAP e como analisa-lo.

O MAP é um dos sensores utilizados no sistema de controle eletrônico de um motor de combustão interna.

Os MAP são frequentemente usados em motores com injeção eletrônica. O sensor de pressão do coletor transmite dados de pressão do coletor em tempo real para a (ECU) do motor. O objetivo dos dados adquiridos é calcular a densidade do ar e determinar a taxa de fluxo mássica de ar do motor, determinando a medição de combustível necessária para a combustão. Para detectar o fluxo de ar de admissão, os motores com injeção eletrônica podem usar um sensor de fluxo de ar de massa MAF. O sensor MAF é geralmente conectado no tubo de admissão, e o sensor MAP no coletor de admissão. (Fig.1)



O MAP é um dos sensores utilizados no sistema de controle eletrônico de um motor de combustão interna.

Os MAP são frequentemente usados em motores com injeção eletrônica. O sensor de pressão do coletor transmite dados de pressão do coletor em tempo real para a (ECU) do motor. O objetivo dos dados adquiridos é calcular a densidade do ar e determinar a taxa de fluxo mássica de ar do motor, determinando a medição de combustível necessária para a combustão. Para detectar o fluxo de ar de admissão, os motores com injeção eletrônica podem usar um sensor de fluxo de ar de massa MAF. O sensor MAF é geralmente conectado no tubo de admissão, e o sensor MAP no coletor de admissão. (Fig.1)

 

Como funciona um sensor MAP?

 

O sensor MAP recebe um fornecimento de 5 volts de energia a partir da ECU. O sensor MAP possui um resistor que se altera em resposta à variação dos pulsos de ar no interior do coletor de admissão. O resistor varia a voltagem entre 1V e 4,5V dependendo da condição de carga aplicada, e o sinal de voltagem retorna a ECU calcular o valor da pressão interna do coletor de admissão. Com os dados do MAP a ECU determina a injeção de combustível para aquela condição de carga. (Fig.2)


 

 

Sintomas de um sensor MAP com anomalias

O MAP com problema pode vir a causar uma consequência de problemas de desempenho no motor. Se o sensor estiver com problema, fornecendo uma leitura muito pressão muito alta, o sistema de controle de combustível pode injetar mais combustível, aumentando o consumo de combustível. De outra forma o MAP apresentar uma leitura de pressão baixa, a ECU reduzirá a quantidade de injeção de combustível, e motor ficara sem potência perdendo sua eficiência de trabalho. (Fig.3)



 

 

Possíveis causa de falha do MAP

A falha em um sensor MAP pode ser causada por vários fatores. Para o funcionamento do sensor, o mesmo depende de sistemas eletrônicos e mecânicos. Uma câmara de vácuo no interior do sensor permite que o sensor capture mudanças de pressão no interior do coletor. Um defeito na câmara de vácuo pode se desenvolver ao longo do tempo, deixando o sensor ineficiente para uma boa leitura de dados. Variações extremas de temperatura e vibração também podem causar defeitos no circuito interno do sensor devido à localização no compartimento do motor. Sujeira também impede o sensor de realizar as capturas de pressões baixa, média e alta no coletor.

Como analisar o MAP

O MAP é um sensor de pressão absoluta, e desta forma com o scanner podemos verificar nos parâmetros a pressão atmosférica local. Você pode encontrar essa informação no scanner como pressão barométrica e não pressão atmosférica, porem ambos são a mesma. Para este teste é interessante você possuir um anemômetro, com esta ferramenta é possível saber a pressão atmosférica no seu ambiente de trabalho. Vamos supor que no anemômetro a pressão encontrada foi de 900 mBar, esta é a pressão barométrica no seu ambiente, esta mesma pressão tem que estar marcando no sensor MAP com o motor parado e chave ligada, pois com o motor em funcionamento a pressão do coletor de admissão onde está aplicado o MAP irá cair devido os movimentos dos pistões, arraste do ar para dentro do cilindro.

Analisando o MAP com o Transdutor de Pressão

Remova o sensor MAP e conecte o transdutor de pressão no mesmo local, com o tradutor também é possível verificar a pressão interna do coletor, validando assim o sinal do MAP. Também podemos verificar a pressão do MAP com o transdutor aplicado no orifício da vela de ignição, aplicando as técnicas de análise no gráfico, isso já demanda um conhecimento do transdutor. (Fig.4)


 



 

Sintomas de um sensor MAP defeituoso

Os efeitos de sensores danificados são variados. Preste atenção aos primeiros sintomas para identificar rapidamente um defeito:

 

A- Alto consumo de combustível

Se o modulo não detectar queda de pressão no interior do coletor de admissão, ele assume que o motor está sobre carga e injeta mais combustível, e avança a ignição. Com isso teremos excesso de combustível, consumo elevado, perda de potência do motor, podendo mudar o AF de motores Flex, então vira bagunça.

B- Falta de potencia

Se o modulo detectar uma queda de pressão alta no coletor de admissão, ele assume que a carga do motor está baixa e diminui a injeção de combustível, além de atrasar o tempo de ignição. Por um lado, o consumo de combustível será reduzido. Se não for consumido combustível suficiente, o motor pode não ter aceleração e potência no momento que demandar carga.

C- Arranque do motor com dificuldade

Uma mistura muito rica ou pobre dificulta a partida do motor.

D- DTC gerados pela ECU

A ECU pode identificar parâmetros fora de padrão e gerar um código de falha.

 

Códigos de falha comuns do sensor MAP

 

P0068 - MAP/MAF - Correlação de Posição do Acelerador

P0069 - Pressão Absoluta do Coletor - Correlação Barométrica de Pressão

P0105 -Mau funcionamento do circuito MAP

P0106 - MAP/Faixa de Circuito de Pressão Barométrica/Problema de Desempenho

P0107 -Pressão Absoluta do Coletor

 

Diferença entre MAP e MAF

O sensor de pressão MAP é sensor de pressão absoluta do coletor de admissão, e a ECU usa a variação de pressão de aumento de velocidade para ajustar a velocidade. O MAF é um sensor de fluxo de ar, cujo mede quantas gramas de ar estão entrando para dentro do coletor de admissão. (Fig.5)


 

 

O que é um MAF?

O sensor MAF é um sensor responsável por medir quanto de ar está entrando no cilindro do motor. É encontrado em todos os veículos com injeção de combustível. Se o seu veículo tiver um motor de injeção, provavelmente possui um sensor MAF. Normalmente, você pode encontrar o sensor MAF ao redor do filtro de ar do motor. É uma pequena peça elétrica que mede a quantidade de ar em gramas/segundos que entra no coletor de admissão e assim vai para os cilindros.

Como funciona o MAF?

Existem diferentes tipos de sensores MAF, mas a maioria funciona da mesma maneira. O sensor MAF tem dois fios. Um desses fios está conectado ao sistema elétrico do seu veículo. Quando seu veículo está funcionando, a corrente flui através deste cabo e ao mesmo tempo aquece o cabo. À medida que o ar flui através do filtro de ar, ele flui sobre este fio alimentado e aquecido, resfriando o fio. O sensor MAF mede a diferença de temperatura entre os dois fios para determinar quanto de ar está entrando no motor.

 

 

 

O sensor MAP causa erro de ignição?

Se um sensor MAP informar uma falsa leitura de alta pressão, a ECU do motor injetara mais combustível. Isso resulta em uma mistura rica, que pode encharcar as velas de ignição e fazer com que um cilindro não entre em combustão. Um motor com falha de vibra, e essa vibração é sentida dentro do veículo.

 

 Devemos limpar um sensor MAP?

Use um desengripante com um pano macio para limpar a parte externa do sensor MAP. Agite o excesso e deixe o sensor MAP secar. Verifique se há contaminação dentro do coletor de admissão. Limpe-os com um limpador de peças e uma escova.

 

Como funciona um sensor MAP?

 

O sensor MAP recebe um fornecimento de 5 volts de energia a partir da ECU. O sensor MAP possui um resistor que se altera em resposta à variação dos pulsos de ar no interior do coletor de admissão. O resistor varia a voltagem entre 1V e 4,5V dependendo da condição de carga aplicada, e o sinal de voltagem retorna a ECU calcular o valor da pressão interna do coletor de admissão. Com os dados do MAP a ECU determina a injeção de combustível para aquela condição de carga. (Fig.2)

 

 

Sintomas de um sensor MAP com anomalias

O MAP com problema pode vir a causar uma consequência de problemas de desempenho no motor. Se o sensor estiver com problema, fornecendo uma leitura muito pressão muito alta, o sistema de controle de combustível pode injetar mais combustível, aumentando o consumo de combustível. De outra forma o MAP apresentar uma leitura de pressão baixa, a ECU reduzirá a quantidade de injeção de combustível, e motor ficara sem potência perdendo sua eficiência de trabalho. (Fig.3)

 

 

Possíveis causa de falha do MAP

A falha em um sensor MAP pode ser causada por vários fatores. Para o funcionamento do sensor, o mesmo depende de sistemas eletrônicos e mecânicos. Uma câmara de vácuo no interior do sensor permite que o sensor capture mudanças de pressão no interior do coletor. Um defeito na câmara de vácuo pode se desenvolver ao longo do tempo, deixando o sensor ineficiente para uma boa leitura de dados. Variações extremas de temperatura e vibração também podem causar defeitos no circuito interno do sensor devido à localização no compartimento do motor. Sujeira também impede o sensor de realizar as capturas de pressões baixa, média e alta no coletor.

Como analisar o MAP

O MAP é um sensor de pressão absoluta, e desta forma com o scanner podemos verificar nos parâmetros a pressão atmosférica local. Você pode encontrar essa informação no scanner como pressão barométrica e não pressão atmosférica, porem ambos são a mesma. Para este teste é interessante você possuir um anemômetro, com esta ferramenta é possível saber a pressão atmosférica no seu ambiente de trabalho. Vamos supor que no anemômetro a pressão encontrada foi de 900 mBar, esta é a pressão barométrica no seu ambiente, esta mesma pressão tem que estar marcando no sensor MAP com o motor parado e chave ligada, pois com o motor em funcionamento a pressão do coletor de admissão onde está aplicado o MAP irá cair devido os movimentos dos pistões, arraste do ar para dentro do cilindro.

Analisando o MAP com o Transdutor de Pressão

Remova o sensor MAP e conecte o transdutor de pressão no mesmo local, com o tradutor também é possível verificar a pressão interna do coletor, validando assim o sinal do MAP. Também podemos verificar a pressão do MAP com o transdutor aplicado no orifício da vela de ignição, aplicando as técnicas de análise no gráfico, isso já demanda um conhecimento do transdutor. (Fig.4)

 

 

Sintomas de um sensor MAP defeituoso

Os efeitos de sensores danificados são variados. Preste atenção aos primeiros sintomas para identificar rapidamente um defeito:

 

A- Alto consumo de combustível

Se o modulo não detectar queda de pressão no interior do coletor de admissão, ele assume que o motor está sobre carga e injeta mais combustível, e avança a ignição. Com isso teremos excesso de combustível, consumo elevado, perda de potência do motor, podendo mudar o AF de motores Flex, então vira bagunça.

B- Falta de potencia

Se o modulo detectar uma queda de pressão alta no coletor de admissão, ele assume que a carga do motor está baixa e diminui a injeção de combustível, além de atrasar o tempo de ignição. Por um lado, o consumo de combustível será reduzido. Se não for consumido combustível suficiente, o motor pode não ter aceleração e potência no momento que demandar carga.

C- Arranque do motor com dificuldade

Uma mistura muito rica ou pobre dificulta a partida do motor.

D- DTC gerados pela ECU

A ECU pode identificar parâmetros fora de padrão e gerar um código de falha.

 

Códigos de falha comuns do sensor MAP

 

P0068 - MAP/MAF - Correlação de Posição do Acelerador

P0069 - Pressão Absoluta do Coletor - Correlação Barométrica de Pressão

P0105 -Mau funcionamento do circuito MAP

P0106 - MAP/Faixa de Circuito de Pressão Barométrica/Problema de Desempenho

P0107 -Pressão Absoluta do Coletor

 

Diferença entre MAP e MAF

O sensor de pressão MAP é sensor de pressão absoluta do coletor de admissão, e a ECU usa a variação de pressão de aumento de velocidade para ajustar a velocidade. O MAF é um sensor de fluxo de ar, cujo mede quantas gramas de ar estão entrando para dentro do coletor de admissão. (Fig.5)

 

 

O que é um MAF?

O sensor MAF é um sensor responsável por medir quanto de ar está entrando no cilindro do motor. É encontrado em todos os veículos com injeção de combustível. Se o seu veículo tiver um motor de injeção, provavelmente possui um sensor MAF. Normalmente, você pode encontrar o sensor MAF ao redor do filtro de ar do motor. É uma pequena peça elétrica que mede a quantidade de ar em gramas/segundos que entra no coletor de admissão e assim vai para os cilindros.

Como funciona o MAF?

Existem diferentes tipos de sensores MAF, mas a maioria funciona da mesma maneira. O sensor MAF tem dois fios. Um desses fios está conectado ao sistema elétrico do seu veículo. Quando seu veículo está funcionando, a corrente flui através deste cabo e ao mesmo tempo aquece o cabo. À medida que o ar flui através do filtro de ar, ele flui sobre este fio alimentado e aquecido, resfriando o fio. O sensor MAF mede a diferença de temperatura entre os dois fios para determinar quanto de ar está entrando no motor.

 

 

 

O sensor MAP causa erro de ignição?

Se um sensor MAP informar uma falsa leitura de alta pressão, a ECU do motor injetara mais combustível. Isso resulta em uma mistura rica, que pode encharcar as velas de ignição e fazer com que um cilindro não entre em combustão. Um motor com falha de vibra, e essa vibração é sentida dentro do veículo.

 

 Devemos limpar um sensor MAP?

Use um desengripante com um pano macio para limpar a parte externa do sensor MAP. Agite o excesso e deixe o sensor MAP secar. Verifique se há contaminação dentro do coletor de admissão. Limpe-os com um limpador de peças e uma escova.

32 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page