top of page

Segurança do veículo: Security Gateway e Protocolo SAEJ2534

Nos últimos anos a falta de segurança em sistemas intraveiuclares possibilitou que carros modernos possam ser hackeado através de suas redes de comunicação.

 

Por que existe o sistema pass thru SAE J2534 e Gateway nos veículos modernos, seria para dificultar a vida do reparador independente, ou então para criar uma guerra contra os scanners terceiros obrigando o reparador a comprar o acesso ao software da montadora? Para entender melhor sobre isto, iremos descrever um pouco sobre essas novidades que os reparadores irão se deparar e já estão se deparando em suas oficinas.

Os Hackers de Veículos

"Quanto mais sofisticado for o sistema, quanto mais conectado estiver o veículo, mais exposto você estará". "Pegamos qualquer modelo de carro em que você pensou e os hackeamos em vários lugares. Posso controlar sua direção, posso desligar e ligar seu motor, controlar seus freios, suas portas, seus limpadores, abrir e fechar seu porta-malas. (Detroit Free Press). (Fig1)



Charlie Miller e Chris Valasesk foram convidados pelo Grupo Fiat para tentar invadir o sistema do Jeep Cherokee, e ficaram impressionados com os dois, pois invadiram o sistema de controle do veículo assumindo controle sem fio do Jeep Cherokee que ele dirigia, mexendo no controle de temperatura do carro, estações de rádio, limpadores de pára-brisa e, desligando o motor, adicionando fotos na tela do mídia player. O integrante do Grupo Fiat ficou desamparado, quase parando na pista de uma rodovia movimentada. (Fig2)



O passeio do hacker  foi realizado por Charlie Miller e Chris Valasek, uma dupla que há anos está analisando furos nos sistemas de computadores dos carros modernos. Miller e Valasek são a equipe por trás da maioria das notícias sobre “hackeamento de carros” dos últimos anos . Em 2013, eles levaram Greenberg para um passeio emocionante em um Toyota Prius e um Ford Escape, ambos com laptops no banco de trás para assumir os controles do motorista. Então reparador fique despreocupado, que o sistema security gateway aplicado nos veículos atuais não é para atrapalhar a vida do reparador, e sim para proteger o condutor do veículo de um ataque cibernético, e para evitar que hakers acessem o controle do veículo.

 

Mas o que é um sistema Gateway?

Gateway em inglês significa “Porta de entrada”, ou seja o gateway é o guardião do cérebro do veículo o modulo principal, ele é quem decidira se você vai passar o portão ou não. Ou seja, quando você pegar seu scanner e for acessar as informações do veículo, o gateway irá conceder ou bloquear seu acesso. Para o gateway conceder o acesso, você precisa do scanner da Montadora, ou o seu Scanner terceiro precisa estar homologado para ter acesso, caso contrário o acesso será negado. Sem um scanner homologado, você terá acesso apenas aos dados de emissões do motor, que são informações que as montadoras não podem restringir de forma alguma conforme as medidas tomadas pelo PROCONVE. Ou seja, qualquer informação que não está relacionada com emissões, você não terá acesso, bem como programações.

Como funciona o sistema Gateway no veículo?

 

A central do veículo possui um IP, ou seja, um endereço, e quando ele for se comunicar com outro IP de outra máquina (Scanner ou PC), o gateway irá ser o intermediário das duas máquinas, organizando a troca de informações de ambos. (Fig3)



Para que seu scanner tenha acesso aos dados restritos pelo gateway, o mesmo deve estar homologado no sistema da montadora, sem a homologação o scanner terceiro não conseguirá comprar a chave de acesso no site da montadora. Com o scanner homologado, você irá acessar o site da montadora e criar um cadastro colocando suas informações, e as informações do seu Scanner. Vou usar como exemplo o site da FIAT, hoje Grupo Stellantis e o site do Scanner PDL.

 

1° Passo: Ter um Scanner Homologado.

Com o scanner homologado, você irá fazer um cadastro no site da FIAT. (Fig4)




2° Passo: Ter um cadastro no sistema do seu Scanner.

Em nosso artigo estamos utilizando o Scanner PDL 5500, onde o cadastro foi realizado no site: (Fig5) https://aui.mitchell1.com/



3° Passo: Comprar uma subscrição.

Com o cadastro realizado e aprovado no site da FIAT, você poderá assim comprar uma chave de acesso chamada de subscrição, essa chave pode ser de 24 horas, uma semana, um mês ou um ano, e para poder comprar as chaves também precisara de um cartão de credito com transação internacional. Para acesso de 24 horas o valor a ser cobrado é de R$ 19 reais, para uma semana R$ 126,00, para um mês R$ 316, e para um ano R$ 1265,00. (Fig6)



Agora sabe aquela discussão, de cobrar para passar o scanner, sim meu amigo agora você terá que cobrar para passar o scanner, ou se não vai pesar o bolso no final do mês.

4° Passo: Chave de acesso.

Com a chave de acesso liberada, você terá que entrar no site do seu scanner e inserir a chave no sistema do scanner. Com a chave inserida no sistema, seu scanner tem que estar conectado no wi-fi, pois conectado no wi-fi ele irá buscar a chave no seu cadastro e assim ter a chave para o guardião do gateway liberar seu scanner. Calma não tenha medo, isso não é um bicho de 7 cabeças, só é mais uma novidade neste mundo cada vez mais conectado.

 

Protocolo SAE J2534 e ISO 22900

O protocolo SAE J2534 é uma norma desenvolvido pela SAE (Society of Automotive Engineers), que obriga as montadoras a dar permissão para o reparador autônomo poder usar o software original da montadora, utilizando uma VCI diferente da original. Desde a introdução do OBDII, os computadores e softwares em carros têm se expandido a uma taxa exponencial. O software para automóveis está se tornando uma das principais necessidades de serviço e atualizar o software pode ser a única maneira de corrigir alguns desses problemas: dirigibilidade, economia de combustível, perda de potência, códigos de falha e durabilidade de peças mecânicas.

Estudos indicam que 7 em cada 10 veículos na estrada requerem uma atualização de calibração. Os técnicos que exploram o J2534 descobrirão que é uma tecnologia que não só está crescendo, mas se tornando essencial.

 

VCI – Interface de comunicação

As concessionárias da FIAT utilizam o software Witech 2, esse software é instalado no PC, e para o software ter acesso ao veículo, precisa de uma VCI parecido com aqueles scanners baratos ELM 327, a VCI da montadora é o MicroPod 2. (Fig7)



Com a norma SAE J2534, agora você reparador independente pode usar o software original da montadora com uma VCI diferente da original do fabricante, como exemplo você pode usar a VCI do Autel maxiflash elite para se comunicar o software original da montadora, sem utilizar o VCI original do fabricante Micropod 2. (Fig8)




Outras VCI também podem ter acesso ao software original, mas elas devem estar dentro do protocolo SAE J2534. Agora não é porque você tem uma VCI protocolo J2534 que irá ter acesso simplesmente ao software, você terá que comprar as liberações do software, igual do acesso do gateway para os Scanners independes. Para ter o acesso ao software original terá que comprar a liberação por dia, por semana, por mês ou ano, de acordo com sua necessidade. Mostrando como exemplo a assinatura de um ano do software original Fiat witech 2 é de R$ 8900 por ano, ou uma diária de R$280,00 reais.

Resumindo

Para acessar veículos com segurança gateway, você terá 3 opções de acesso.

1°- Scanner Terceiro Homologado na montadora + Subscrição (Chave de acesso).2°- VCI SAE J2534 + Software da Montadora.

3°- VCI Montadora + Software da montadora

0 visualização0 comentário
bottom of page